Um estudo feito em camundongos mostrou que a exposição ao composto Bisfenol A (substância química encontrada no plástico) durante a gestação pode mudar o ritmo circadiano, que é responsável por controlar o tempo que ficamos acordados ou dormindo.

Os camundongos foram divididos em dois grupos: o primeiro se alimentou de comida normal e o segundo se alimentou de comidas com baixa presença de Bisfenol A.

Os filhotes dos dois grupos foram mantidos junto aos pais por 12 semanas antes de serem separados.

Depois deste tempo, eles foram colocados em um ambiente modificado com luzes artificiais. Primeiramente, os filhotes foram submetidos a 12 horas de luz e 12 horas de escuridão por quatro semanas; depois, os ratinhos ficaram 24 horas na escuridão por mais quatro semanas, recebendo eventuais contatos de luz.

Os filhotes de ratos que foram expostos à pouca quantidade de BPA estavam mais ativos durante o período de luz e escuridão. Já os filhotes de mães que consumiram alimentação normal, se adaptaram melhor às novas condições.

Os pesquisadores acreditam que essas mudanças podem ter alguma relação com a hiperatividade, mas outras pesquisas precisam ser feitas para comprovar essa hipótese. Os testes foram feitos durante 4 meses.

Muitos estudos, ao redor do mundo, mostraram que o BPA tem alguns riscos para a saúde. Mesmo assim, vários países liberaram seu uso e comercialização.

Os pesquisadores acreditam que a descoberta pode mudar essa realidade, principalmente dos países da Europa e América do Norte.


Leia mais: Sono e envelhecimento: como as duas coisas podem estar ligadas

Bisfenol A (BPA)

O bisfenol A (BPA) é uma substância que está frequentemente presente em plásticos, sendo resistente a altas temperaturas. Mamadeiras, chupetas e garrafões de água (20 litros) e vernizes usados para revestir embalagens são bons exemplos de onde se pode encontrar esse composto químico.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), proíbe a fabricação e a venda de mamadeiras que utilizem bisfenol A. Entretanto, outros produtos com a substância podem ser feitos e comercializados no Brasil.

Ritmo circadiano

Em média, um adulto dorme 8 horas e se mantém acordado pelas outras 16 horas.

Enquanto está em sua “fase de vigília”, o corpo ativa e aumenta algumas funções físicas e mentais. Já no período do sono, há uma diminuição dos batimentos cardíacos, da respiração e da temperatura corporal.

O ritmo circadiano é o relógio biológico que controla as horas de vigília e as horas de sono, além de ser responsável por avisar ao corpo se as funções, como bater o coração, devem ser aceleradas ou diminuídas.


O ritmo circadiano precisa ser respeitado, afinal, dormir de 6 a 8 horas e ter um sono de qualidade ajuda a melhorar a saúde e previne muitas doenças.

Fonte: Science Daily


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *