Anelise Wickert (Minuto Saudável)
19/03/2019 15:07

Incluir cogumelos na dieta pode ajudar na capacidade mental

Um estudo na Universidade Nacional de Singapura apontou que comer cogumelos pelo menos 2 vezes por semana pode prevenir problemas de linguagem e memória, comuns em pessoas com mais de 60 anos.

A pesquisa contou com a participação de 663 pessoas com mais de 60 anos, que foram avaliadas entre 2011 e 2017. O estudo foi publicado no Journal of Alzheimer´s Disease.

Com os resultados, então, é possível indicar que há uma relação entre a boa alimentação e menores riscos de problemas de memória.

O consumo do cogumelo, que é um fungo diminuiu as chances de comprometimento cognitivo leve de modo proporcional à ingestão.

Ou seja, quanto mais cogumelos os pesquisados consumiram, melhores foram os resultados em testes de raciocínio e processamento.

Embora os dados sejam positivos, ainda não é possível estabelecer uma relação direta entre o cérebro e os cogumelos, uma vez que, durante os experimentos, os participantes também comeram peixes, nozes, frutas e verduras, também considerados bons para a memória.

Os cientistas acreditam que esse efeito se deve à ação antioxidante presente no alimento.

Porém, outros fatores alimentares estão envolvidos, logo que os participantes também ingeriram alimentos como aveia, abacaxi, melão, frutas cítricas, frutas vermelhas, pepino e peixes, igualmente benéficos.

Além disso, os próprios cogumelos contêm outros nutrientes importantes, como a vitamina D, o selênio e a espermidina, que protegem os neurônios de danos.

Comprometimento Cognitivo Leve (CCL)

O comprometimento cognitivo leve causa perda de memória, problemas na linguagem e dificuldade de localização e reconhecimento de espaço.

Mas a condição não é grave o suficiente para ser considerada demência.

Entre as causas do CCL estão: estresse, depressão, ansiedade e transtorno do sono. Essa síndrome pode ser considerada um dos sintomas de Alzheimer.

Ainda não existe nenhum tipo de medicamento ou tratamento para o CCL, mas fatores como boa alimentação e prática de exercícios que estimulam a mente são bons “remédios”.

Para os pesquisadores, reduzir os açúcares e o sal, não fumar e fazer atividades físicas também ajuda a evitar doenças mentais, como o comprometimento cognitivo leve.

Leia mais: Alimentação saudável: o que é e quais são os benefícios?


Atividades como leitura e jogos de tabuleiro aliados a uma dieta rica e saudável pode prevenir as perdas de memória e dificuldades de localização e reconhecimento.

Fonte: BBC

16/04/2019 17:16

Anelise Wickert (Minuto Saudável)

Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável. Confira mais na nossa página de quem somos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Campos obrigatórios estão marcados*