A área da estética vem crescendo cada vez mais, por conta da grande busca por cuidados com o corpo e o rosto. A carboxiterapia vem sendo usada desde 1930, como uma técnica estética muito abrangente e considerada segura. 

Vale ressaltar que naquela época, ela era usada em  pacientes com arteriopatias periféricas, ou seja, com estreitamento ou obstrução dos vasos sanguíneos arteriais, além disso, o tratamento era feito em banhos secos  ou submersão em água carbonada.  

Atualmente, depois de muito ser estudada, fornece uma série de outras funcionalidades que nós, do Minuto Saudável, vamos te explicar a seguir, confira!

Índice — neste artigo você vai encontrar:

  1. O que é carboxiterapia?
  2. Para que serve?
  3. Quantas sessões são necessárias?

O que é carboxiterapia?

A técnica da carboxiterapia é um procedimento estético, cujo diferencial é o uso do gás carbônico medicinal (Dióxido de Carbono ou CO2), uma substância gasosa, atóxica, sem cheiro e sem cor. 

Vale ressaltar que a aplicação é feita por uma agulha fina que perfura a derme e a epiderme chegando ao tecido subcutâneo (última camada de pele). A manipulação é feita em um aparelho fixado a um cilindro de CO2, responsável por regular a vazão do gás. Isso acontece com uma agulha de calibre mínimo. 

A carboxiterapia ajuda não só em condições  relacionadas às  irregularidades da pele, como estrias e celulites, mas também nos problemas de circulação e na regeneração dos tecidos. 


Além disso, devido à alta pureza do gás carbônico junto ao seu uso terapêutico e estético,  ele é considerado muito seguro e sem efeitos prejudiciais à saúde. Porém,  segundo a Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética (SBBME), é necessário que seja usado equipamento especializado, que inclusive é liberado e aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Para que serve?

É uma técnica abrangente e não invasiva que ajuda em vários aspectos, entre elas estão os problemas dermatológicos e a dilatação dos vasos sanguíneos. Separamos mais detalhes sobre as suas funções mais buscadas no mercado da estética, olha só!

Carboxiterapia para celulite

A celulite é um problema quase universal que atinge de 80 a 90% das mulheres e causa alterações na forma do corpo. 

Após quase  20 anos de estudos, a Carboxiterapia é considerada um dos  tratamentos mais modernos para ajudar o problema. O gás carbônico utilizado é normalmente encontrado em nosso próprio organismo como em situações de repouso, por exemplo, quando  nosso corpo produz pelo menos, 200 mL da substância. Quando feito esforços físicos intensos, esse volume aumenta em até 10 vezes mais.

O tratamento da carboxiterapia para celulite funciona com a aplicação da injeção de CO2  na pele do local. O tratamento faz com que haja um um aumento da circulação sanguínea, retirada de toxinas, eliminação das células de gordura, maior firmeza e sustentação da pele além de, enfim, eliminar as marcas indesejadas. O resultado promete ser  bem satisfatório.

Carboxiterapia para estrias

A estria é uma atrofia e pode medir a partir de um milímetro de largura. Sua cor varia de esbranquiçada, avermelhada até abrilhantada. 

Elas se formam por conta do rompimento das fibras elásticas da pele, gerando uma lesão como se fosse um corte e, com o tempo, forma-se uma espécie de cicatriz no local. Os lugares onde mais aparecem são geralmente as nádegas, quadril, seios e barriga.

Diante disso, algumas  pessoas  buscam tratamento alternativo para o problema e a carboxiterapia tem ajudado muito. Vale lembrar que a estria ainda não tem cura, mas a  técnica  pode ajudar a melhorar a condição. 

A aplicação é superficial, feita de estria por estria. Portanto, para fazer o tratamento é necessário certa paciência, já que o volume do gás usado tem uma quantidade pré- estabelecida. 

Demais usos da carboxiterapia

Além dos usos citados acima,  a carboxiterapia pode tratar outros problemas como olheiras, flacidez, gordura localizada, rugas, cicatrizes  inestéticas, além  de  ser  um  tratamento complementar à lipoaspiração.

Quantas sessões são necessárias?

A quantidade pode variar de 5 a 20 sessões, geralmente são feitas duas vezes por semana, mas pode variar de acordo com o tratamento a ser realizado. 

Cada sessão dura até 30 minutos dependendo da área de aplicação e os resultados são visíveis da quinta até no máximo a oitava sessão.

Contudo, é fundamental manter os cuidados diários depois de fazer a carboxiterapia, isso inclui manter uma dieta balanceada, usar cremes nas regiões tratadas para manter a hidratação da pele (principalmente no caso das estrias), além de fazer exercícios físicos regularmente. 

Não há importantes reações adversas e o método é de fácil execução e amplamente utilizado na Europa. Porém, a carboxiterapia, como todo tratamento, apresenta algumas contraindicações, tais quais:

Vale lembrar que esses são problemas que podem voltar, então é bom manter uma rotina saudável e preventiva.


Além do efeito estético da carboxiterapia, é importante atentar-se ao profissional que vai realizar a técnica, que deve possuir habilitação adequada para evitar a ineficácia dos procedimentos.

Gostou deste conteúdo? Então continue acompanhando o Minuto Saudável para mais informações sobre saúde e bem-estar! 

Fontes consultadas: 


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.