Uma nova forma de evitar a gravidez é apresentada por pesquisadores. Brincos, anéis, pulseiras e relógios podem ser usados junto com adesivos que contêm hormônios contraceptivos.

Esses suportes especiais somente precisam estar em contato com a pele para que o medicamento seja absorvido pelo organismo. Assim, o remédio entra na corrente sanguínea e circula pelo corpo.

O principal objetivo é mostrar que o controle de gravidez pode ser tão simples e rotineiro como colocar um brinco ou usar um relógio.

Além disso, as mulheres podem utilizar essa tecnologia sem que ninguém perceba.

Os testes iniciais já começaram a ser feito em orelhas de porcas e ratas.

Embora nenhuma mulher tenha utilizado alguma joia com esse adesivo, os pesquisadores estão confiantes que a quantidade de hormônios presentes nesse suporte pode evitar uma concepção.

Para esses primeiros testes, foi utilizado um brinco composto de 3 camadas: adesivo que serve para segurar o brinco a orelha (similar a uma tarraxa), o medicamento em estado sólido e um segundo adesivo que ficaria colado na pele.

Os adesivos estão sendo desenvolvidos em modelos universais de tarraxas para serem colocado em vários tipos de brinco.


Se for utilizado para prevenir a concepção de bebês humanos, o adesivo precisará ser trocado pelo menos uma vez por semana, avaliam os especialistas.

Essa tecnologia já é utilizada em outros medicamentos, como os que previnem enjoos, criam aversão ao tabagismo ou diminuem os sintomas da menopausa.

Buscando simular a remoção da joia durante o banho ou o sono, os cientistas aplicaram o adesivo por 16 horas e depois o retiraram por 8 horas e observaram que os níveis hormonais variaram, sendo maiores quando o adesivo estava colocado.

Esse relatório foi publicado no jornal Journal of Controlled Release. A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) já aprovou mais pesquisas nesta área.

Leia mais: DNA de 1 em cada 20 mulheres reduz a eficácia do anticoncepcional

Pílulas anticoncepcionais

Os anticoncepcionais são tomados para evitar gestações, regular o ciclo menstrual, além de controlar algumas síndromes (como ovários policísticos).

Os anticoncepcionais devem ser tomados sob orientação médica. A automedicação, neste caso, pode trazer consequências como: amenorreia (falta de menstruação), aumento de peso, risco de desenvolver trombose ou doenças cardíacas.

Existem várias composições e marcas que podem ser encontradas nas farmácias. Para saber qual é a mais indicada e quais são os benefícios e riscos, consulte um médico ginecologista.


As joias contraceptivas vão facilitar a vida de muitas mulheres. É uma tecnologia discreta que ajudará a mulher a cuidar de si mesma.

Fonte: Science Daily


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *