Com o aumento das temperaturas, algumas doenças têm maior circulação devido ao clima mais quente e a alta incidência de chuvas.

Essas características climáticas são favoráveis para a proliferação de mosquitos transmissores de doenças como a dengue, pois o acúmulo de água se torna mais fácil neste período.

Caixas d’água, tonéis, vasos de plantas aquáticas e pneus se tornam depósito dos ovos de mosquitos. Basta uma chuva para que esses ovos eclodam e liberem mosquitos.

Porém, independente da época do ano, esses riscos estão aumentando cada vez mais e vem preocupando entidades e órgãos de saúde.

Segundo uma nova pesquisa publicada na revista científica PLOS Neglected Tropical, isso se deve ao aquecimento global.

Os impactos das mudanças climáticas

De maneira geral, o aquecimento global é o aumento da temperatura média dos oceanos e da atmosfera da Terra, capaz de subir de forma gradativa a temperatura do ambiente terrestre.

O fenômeno já é realidade, o que serve de alerta para uma exposição futura de toda a população a um ambiente propício à doenças causadas por mosquitos.

Com base nisso, os pesquisadores do estudo analisaram como seria se dois mosquitos de diferentes espécies (Aedes aegypti e Aedes albopictus) — principais causadores da dengue, chikungunya e zika — circulassem pelo mundo de forma paralela ao aumento da temperatura.


Como resultado, foi visto que as doenças poderão afetar praticamentes todas as áreas do globo, tornando-se uma ameaça nos próximos 50 anos.

Inclusive, lugares com clima menos favorável à proliferação dos mosquitos também serão impactados.

Um bilhão de pessoas

Um bilhão. Este é o número de pessoas, segundo o estudo, que poderão ficar expostas a doenças como dengue, chikungunya e zika entre 2050 e 2080 se as temperaturas do planeta terra continuarem subindo.

Segundo os pesquisadores, a Ásia Oriental, América Central, África Oriental, Estados Unidos e Canadá têm potencial para sofrer com os maiores aumentos nos registros de doenças.

Mesmos em regiões mais extremas, os vírus são capazes de causar surtos de grande proporção, e também se disseminarem para outros países.


Enquanto a população mundial estiver em risco para doenças como dengue, chikungunya e zika, a melhor forma de evitá-las, é se proteger dos mosquitos com as medidas preventivas.

Por exemplo, evitar água parada, manter caixas d’água bem fechadas e deixar areia nas bordas de vasos de plantas.


Minuto Saudável: Somos um time de especialistas em conteúdo para marketing digital, dispostos a falar sobre saúde, beleza e bem-estar de maneira clara e responsável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *